Com conta de água dez vezes mais cara que o normal, moradora pede que Copasa tome providências

A companhia de saneamento informou por meio de nota que um técnico irá até a residência 

por Redação Patos Já
28/07/2020 - 10h00

Patos Já - Com conta de água dez vezes mais cara que o normal, moradora pede que Copasa tome providências

Nessa segunda-feira (27), uma moradora do bairro Nossa Senhora Aparecida em Patos de Minas, fez reclamação de valor abusivo que estaria sendo praticado pela Copasa em sua conta de água. A mulher reclamou que não aumentou o consumo e mesmo assim foi surpreendida com o custo bem acima do registrado em contas anteriores.

Dalva Bernardes afirmou que não atrasa o pagamento das contas, mas que tem ocorrido variações nos valores. A fatura do mês de janeiro deste ano foi de R$ 82,80, a do mês de fevereiro R$ 122,54. Em março R$ 31,80, abril R$ 32,59, e maio de R$ 37,10. Entretanto a última assustou a moradora, pois o valor calculado pela companhia de saneamento é de R$ 391,00. Ou seja mais de dez vezes o valor da última.

Dalva contou que entrou em contato com a Copasa para tentar resolver o problema, mas foi direcionada ao atendimento via internet, devido ao período de pandemia do novo coronavírus. Porém ela reclama que não consegue acesso para receber o atendimento e corrigir o erro. Indignada, Dalva fez reclamação em uma rede social e acionou a nossa reportagem em busca de ajuda.

Em nota, a Copasa afirmou que técnico da empresa irá ao imóvel, para fazer nova leitura e analisar os valores das faturas. Após a análise, a Companhia fará contato e dará retorno para o morador.

A Companhia informa, ainda, que para análise dos valores de fatura, o cliente, deve entrar em contato com a empresa, gratuitamente, 24 horas por dia, pela central de atendimento telefônico, no número 115 ou pelo site www.copasa.com.br / Fale Conosco. A cliente deve informar a leitura e o número da matrícula para análise e, se a reclamação for procedente será feito a correção dos valores e enviada uma nova fatura para o imóvel.

A nota diz também que em 2020, até o momento, as tarifas de água e esgoto não foram reajustadas pela Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG).

Ainda de acordo com o texto, “uma das medidas preventivas para evitar a contaminação e a disseminação do coronavírus, para o faturamento do mês 04/2020, os leituristas foram orientados para que não fosse feita a leitura em hidrômetro que se encontra instalado dentro do imóvel, evitando, assim, o contato com a população. Com isso, diversos imóveis tiveram o faturamento calculado pela média de consumo dos últimos 12 meses”.

A nota finaliza afirmando que a “partir do faturamento 05/2020, mediante uma análise preliminar das residências, com a utilização de máscara e respeitado o distanciamento entre as pessoas, a Companhia têm buscado realizar ao máximo a leitura do consumo registrado nos hidrômetros. Com isso, em alguns casos, os valores dos meses subsequentes podem apresentar superiores ao mês anterior. Além disso, as restrições de circulação impostas pela pandemia da Covid-19 com o isolamento social, em alguns casos, provocaram um aumento de consumo de água na categoria residencial”.


Comentários
Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor

  • NossaFM 105,9 - Patos de Minas/MG
  • NTV - Patos de Minas/MG
  • NossaFM 96,3 - Oliveira/MG