Casal acusado de matar idoso no Bairro Alto da Serra deixa presídio

A mulher confessou o crime, mas o companheiro nega

por Aiandra Faria
22/08/2019 - 19h20

Patos Já - Casal acusado de matar idoso no Bairro Alto da Serra deixa presídio

Os acusados de matar o aposentado de 62 anos, no Bairro Alto da Serra, foram soltos nesta quinta-feira (22) do Presídio Sebastião Satiro. A mulher, que confessou o crime, vai responder em prisão domiciliar.

O assassinato aconteceu na noite do último domingo (18), mas, o corpo do idoso Antônio Donizete Ferreira só foi encontrado na tarde de segunda-feira (19), na casa dele, na Rua Geraldo Luiz da Mota, no Bairro Alto da Serra.

A Polícia Militar foi acionada e logo chegou até dois suspeitos. O casal Ludmyla Lane Santos Gonçalves, de 22 anos, e Gustavo Gaya de Sousa, de 18 anos, que eram vizinhos do senhor Antônio, foram encontrados na casa da mãe dele, no Bairro Jardim Esperança.

Na delegacia, Ludmyla confessou que cometeu o crime sozinha e que o motivo está relacionado a ciúmes das três filhas, que são menores de idade. Gustavo ficou em silêncio. Mesmo com a confissão, o delegado de crimes contra vida, Dr Érico Rodovalho, ratificou pela prisão dos dois. Ambos foram presos por homicídio qualificado.

A defesa de Gustavo pediu que se cliente fossem solto. De acordo com o advogado de Gustavo, Dr. Cássio Araújo, ele não concordou com a prisão do seu cliente, já que ele nega participação no crime. Por isso, ele pediu o relaxamento da sua prisão, acreditando que a sua prisão foi irregular.

E diante da confissão da Ludmyla a sua advogada, Dra Mayza Marins, pediu que a prisão dela fosse convertida para prisão domiciliar. A alegação é de que ela tem três filhos, sendo que tem uma bebê de cinco meses, que ainda mama no peito.

A decisão foi dada nessa quarta-feira (21) pelo juiz Melchiades Fortes e nesta quinta-feira (22) Ludmyla e Gustavo saíram do Presídio Sebastião Satiro. Ele está livre. Ela presa em regime domiciliar. Caso ela descumpra as regras, pode voltar para o Presídio. Sobre a motivação, a advogada disse que ela está disposta a contribuir com a Justiça, mas, que a motivação só será esclarecida no processo.

A Polícia Civil vai continuar investigando esse homicídio e casa tenha uma nova prova, os dois podem ser processados e denunciados pelo Ministério Público.


Comentários
Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor

  • NossaFM 105,9 - Patos de Minas/MG
  • NTV - Patos de Minas/MG
  • NossaFM 96,3 - Oliveira/MG