Prefeitura diz em nota que seguiu protocolos do Ministério da Saúde para confirmar morte de idosa

A resposta vem após diversos questionamentos da família sobre o caso

por Redação Patos Já
15/06/2020 - 16h00

Patos Já - Prefeitura diz em nota que seguiu protocolos do Ministério da Saúde para confirmar morte de idosa

A prefeitura de Patos de Minas publicou na tarde desta segunda-feira (15), nota de esclarecimento sobre a morte de uma mulher de 89 anos, que passou a constar no informe epidemiológico da Vigilância em Saúde como sendo por Covid-19. A confirmação do óbito vem provoca questionamentos por parte dos familiares.

Na semana passada, Alisson Dumont, um dos netos de Josefa Borges Nepomuceno, que faleceu no dia 6 de junho, disse em entrevista para a NTV, que a prefeitura insiste em dado falso para espalhar medo. A idosa tinha problemas de coração. Foi internada em um hospital particular com sinais de cansaço e falta de ar. Um teste rápido para Covid-19 foi realizado, deu positivo para IGM e negativo para IGG. Como restou dúvida, o exame PCR foi solicitado e deu negativo, mas ele só ficou pronto depois que dona Josefa foi sepultada.

A Vigilância em Saúde, mesmo tendo conhecimento do resultado do PCR, informou no boletim epidemiológico, que a causa da morte foi por Covid-19, o que provocou indignação aos familiares, que questionaram o órgão, já que o informe é uma responsabilidade do município.

Em nota sobre o caso, a prefeitura disse que, “a discussão da causa do óbito foi feita por meio de investigação epidemiológica, realizada conjuntamente pela Vigilância em Saúde, instituição hospitalar privada em que a paciente estava internada e Superintendência Regional de Saúde seguindo os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde”.

O texto afirma ainda que seguiu protocolo do Ministério da Saúde, “sorologias positivas somadas a evidências clínicas e epidemiológicas (contato com pessoa positiva para a doença) são suficientes para fechamento do diagnóstico”, destacou.

Conforme a nota, “apesar de um segundo exame realizado pela idosa (PCR) dentro da instituição hospitalar ter apresentado resultado negativo, ele não determina isoladamente a não existência do coronavírus, uma vez que o PCR detecta a presença do vírus na cavidade nasal ou oral do segundo ao décimo dia dos sintomas”. E que a declaração de óbito foi feita pelo médico que assistiu a paciente em hospital particular, e o documento consta óbito por Covid-19 e cardiopatia.

A nota da prefeitura termina comunicando que, “quanto a dúvidas da causa da morte ou dos exames realizados, cabe à família da idosa discutir com a equipe médica da instituição hospitalar privada que a assistiu”, finalizou.


Comentários
Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor

  • NossaFM 105,9 - Patos de Minas/MG
  • NTV - Patos de Minas/MG
  • NossaFM 96,3 - Oliveira/MG