Prefeito e vice de Cruzeiro da Fortaleza terão mandatos cassados

A sentença é de primeira instância.

por Matheus Borges
24/08/2021 - 16h50

Patos Já - Prefeito e vice de Cruzeiro da Fortaleza terão mandatos cassados

A Justiça Eleitoral de Patrocínio julgou parcialmente procedente, nesta quinta-feira(24), a ação proposta pela Coligação Trabalho Com Justiça E Honestidade e Partido Verde de Cruzeiro da Fortaleza, contra o prefeito Agnaldo Ferreira da Silva e o vice Romildo Silvestre da Silva. Eles foram condenados por abuso de poder e captação ilícita de votos e tiveram os diplomas cassados, além ficaram inelegíveis por 8 anos.   

Segundo os representantes da ação, o prefeito de Cruzeiro da Fortaleza, que tentava reeleição, convocou uma reunião com servidores 3 dias antes do pleito e determinou que votassem nele sob pena de demissão. Agnaldo Ferreira da Silva prometeu a eles ainda a continuidade nos cargos, caso vencesse a eleição e ainda entregou 100 reais aos servidores Anderson e Valderi. O encontro foi gravado pelos servidores que são garis, sem o conhecimento do prefeito. Diante o ocorrido, Anderson foi a Polícia Civil de Plantão em Patrocínio para denunciar.

Em contestação, o prefeito argumentou que a gravação além de ser ilícita e clandestina, foi uma cilada orquestrada por opositor político dos Representados.  O Ministério Público, no entanto, considerou a gravação prova válida e salienta que os fatos são gravíssimos.

Na transcrição da gravação, feita pela justiça, Agnaldo disse: “Não tem problema. Vou assinar ele mais... eu ganhando vocês vai ficar mais os quatro anos. Compromisso que eu faço com vocês. Caladin, tá? (...) Então vocês vai lá e aperta (ininteligível) a sua esposa continua também com você trabalhando, tranquilo, de boa“  Disse também: “Você vai lá, vota, pega esses cem reais, vai beber cerveja, comer uma carne o resto do dia, tranquilo (...). Não, eu tô falando porque eu confio em vocês. O prefeito disse ainda: “Agora o seguinte, gente, ó, é... a eleição é domingo, eu preciso docêis lá. Tamo junto, quero que ocêis vote lá caladinho, porque, o que acontece, se der errado segunda-feira eu tenho que demitir todo mundo pra mim fechar as conta, né?” .

A partir dessas narrativas, o juiz entendeu que houve a prática de captação ilícita de votos e também abuso de poder e “a grave conduta se repetiu com outras pessoas no município de Cruzeiro da Fortaleza, reforçando essa repetição a gravidade do fato e a configuração inegável de abuso de poder:, conforme a sentença.

Diante o exporto, o juiz Marcos Bartolomeu de Oliveira,  julgou parcialmente procedente a Ação de Investigação e determinou a cassação dos diplomas do prefeito de Cruzeiro da Fortaleza, Agnaldo Ferreira da Silva, e do vice-prefeito, Romildo Silvestre da Silva, pela prática de captação ilícita de sufrágio e determinou multa de 25.000 mil Ufir. Declarou, ainda a inelegibilidade de Agnaldo e Romildo por 8 anos.

Pelo telefone, o prefeito disse ao jornalismo do PatosJá, que vai recorrer da decisão até a instância necessária e que deu o dinheiro aos servidores porque eles precisavam naquele momento. 




Comentários
Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor

  • NossaFM 105,9 - Patos de Minas/MG
  • NTV - Patos de Minas/MG
  • NossaFM 96,3 - Oliveira/MG