Vereador Lásaro Borges será investigado pela câmara municipal pela segunda vez

Três vereadores votaram contra

por Redação Patos Já
19/08/2021 - 18h00

Patos Já - Vereador Lásaro Borges será investigado pela câmara municipal pela segunda vez

A Câmara Municipal de Patos de Minas formou nesta quinta-feira (19), comissão para investigar o vereador Lásaro Borges, que foi denunciado por suspeita de compra de votos nas últimas eleições.

A comissão formada terá como presidente o vereador Daniel Gomes, Gladston Gabriel será relator e Elizabeth Maria (DEM). A partir de agora Lásaro Borges poderá ser notificado das investigações em até cinco dias e terá 10 dias para apresentar a defesa. Em cinco dias os vereadores da comissão deverão emitir parecer se continuarão investigando ou o caso será investigado.

Entenda:

Após denúncia à NTV e Patos Já, o aposentado Chiquinho, líder comunitário em Lanhosos, zona rural de Patos de Minas, representou contra o vereador Lásaro Borges na Câmara Municipal e no Ministério Público, alegando que o parlamentar cometeu contra ele corrupção eleitoral e estelionato de vulnerável. Na representação Francisco Gonçalves alega que “indignado e em razão ao engano ardil e o engodo do vereador; diante disso se vê a obtenção da vantagem ilícita e econômica em proveito próprio para obtenção de um cargo público parlamentar em detrimento de um idoso vulnerável que não tem conhecimento de legislação e procedimentos jurídicos e trabalhistas.”

Relembre:

Em 2015, no dia 15/08, com uma votação de 10 a 7 a denúncia contra o Vereador Lásaro Borges sobre o suposto envolvimento com ação de falso oftalmologista ocorrida em um bairro de Patos de Minas, foi arquivada pela Câmara na reunião desta quinta-feira (20).

A Comissão especial apresentou no plenário da casa o relatório sobre a apuração da denúncia contra o Vereador, com dados sobre o suposto envolvimento com a atuação de um falso oftalmologista que realizou atendimentos na sede da Associação dos Moradores do Bairro Alvorada. A votação foi pelo arquivamento com 10 votos favoráveis e 7 contrários dos vereadores, Tonhão da Copasa, Braz Paulo, Edimê Avelar, Bosquinho, Duda, Carlito e Itamar André que consideravam necessário dar prosseguimento as investigações da denúncia.


O presidente do legislativo, Francisco Frechiani, disse entender que o vereador não foi quem trouxe o suposto falso profissional para o município, já tendo atendido em vários locais da cidade. Para Frechiani, a questão de ser ou não médico deve ser investigada não pela Câmara, mas pelo Ministério Público. O vereador Carlito declarou que vê o resultado como um desrespeito ao trabalho realizado pela comissão, entendendo que as investigações deveriam continuar.

Para o Presidente da Comissão, Braz Paulo, embora já se saiba que o caso está sendo investigado pelo MP e Polícia, a impressão que se passa é de que a Câmara virou as costas para a população. " Nós não podemos dizer simplesmente que isso não é da nossa conta. Eu acho que o plenário diz para a população, isso não é com a gente. Quando na verdade eu acredito que deveria também ser com a gente." finalizou.

O vereador Lásaro Borges comemorou a decisão do plenário. Segundo ele, o importante foi levar a verdade para a população sobre o ocorrido, enfatizando que em momento algum foi o autor ou promoveu a ação no Bairro Alvorada. De acordo com o vereador, ele apenas apoiou um ato da associação de moradores e que não tinha conhecimento da situação do suposto falso profissional.


Comentários
Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor

  • NossaFM 105,9 - Patos de Minas/MG
  • NTV - Patos de Minas/MG
  • NossaFM 96,3 - Oliveira/MG