Acusado de estupro de vulnerável, vereador de Rio Paranaíba é preso preventivamente

O parlamentar é acusado de ter abusado sexualmente, de uma menor de 13 anos, em dezembro do ano passado

por Gabriela Pires Foto: Paranaíba Agora
19/06/2018 - 10h40

Patos Já - Acusado de estupro de vulnerável, vereador de Rio Paranaíba é preso preventivamente

Foi preso preventivamente na noite dessa segunda-feira (18), no quilômetro 13, da MG 230, o vereador João Batista Alves, da cidade de Rio Paranaíba. O parlamentar é acusado de ter abusado sexualmente, de uma menor de 13 anos, em dezembro do ano passado. A prisão foi feita após um mandado de prisão, expedido pelo juiz da Comarca do município, após requerimento do Ministério Público de Minas Gerais. O político foi encaminhado para a 46º Batalhão da Polícia Militar de Patrocínio. As informações são do Paranaíba Agora.

Batista está no seu segundo mandato pelo PR em Rio Paranaíba. Em 2017, quando o caso foi descoberto, ele era Presidente da casa legislativa. Segundo as informações, neste primeiro momento ele não perderá o cargo como parlamentar, apenas será afastado. Nossa redação acompanha  todos os detalhe desse caso, uma vez que nesta terça-feira, os vereadores iriam se reunir para a reunião ordinária da Câmara Municipal.

ENTENDA O CASO

Em dezembro de 2017, os pais de uma adolescente de 13 anos denunciaram o vereador, então presidente da Câmara Municipal, por ter supostamente abusado sexualmente de sua filha. Na época, os responsáveis pela menina disseram que tomaram conhecimento de que a garota estaria em um relacionamento com o parlamentar, sendo que a mesma negou os fatos num primeiro momento.

Diante da Polícia Militar, a menina confirmou que encontrava com Batista já há trinta dias, porém, não revelou se os dois tiveram relações sexuais. O fato foi divulgado por um site de notícias de Patos de Minas e segundo as informações publicadas por eles, a adolescente teria contado para um psicólogo que teria mantido relações sexuais com o parlamentar.

O vereador negou os fatos e disse que a história teria sido inventada pela esposa de um homem que se relacionava com a irmã da menina, que também é menor de idade. O caso foi entregue para a Polícia Civil e correu em segredo de justiça.

 


Comentários
Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor

  • NossaFM 105,9 - Patos de Minas/MG
  • NTV - Patos de Minas/MG
  • NossaFM 96,3 - Oliveira/MG