Com risco de epidemia de dengue, agentes de endemias pedem colaboração dos patenses

Focos do mosquito Aedes aegypti tem sido encontrados em todos os bairros da cidade

por Odair Cardoso
Fonte: Odair Cardoso
07/02/2019 - 17h30

Patos Já - Com risco de epidemia de dengue, agentes de endemias pedem colaboração dos patenses

A População de Patos de Minas precisa se conscientizar de que o índice de infestação do mosquito Aedes aegyti em 2019, pode significar epidemia. A afirmação é da agente de endemias, Suelene Oliveira, que alerta para a grande quantidade de focos localizados todos os dias nos bairros da cidade. Os cuidados para evitar que isso aconteça estão em ações simples nas próprias residências.

O primeiro Liraa de 2019 deu resultado de médio risco em 2,1. Dado que para o Programa Municipal de Combate a Dengue é preocupante. De acordo com a agente de endemias, a situação é muito séria e os moradores precisam entender a gravidade da situação, levando-se em conta que o mosquito é vetor não somente da dengue, mas também de chikungunya, zika, da febre amarela urbana e até da febre do nilo.

Na madrugada do último sábado, uma mulher de 43 anos, moradora da cidade de Vazante, morreu em um hospital de Patos de Minas e a suspeita é de que possa ter sido por dengue. Sobre o caso, Suelene disse que os exames deram como negativo, mas que o médico responsável pelo laudo, apontou o óbito como sendo por dengue hemorrágica.

Com 19 casos notificados e pelo menos 3 já confirmados, em Patos de Minas são somente 130 agentes de endemias para fiscalizar e monitorar 86.848 locais entre residências, comércios e lotes vagos. Uma conta que não fecha sem a participação e colaboração da população.


Comentários
Os comentários não representam a opinião do portal e são de responsabilidade do autor

  • NossaFM 105,9 - Patos de Minas/MG
  • NTV - Patos de Minas/MG
  • NossaFM 96,3 - Oliveira/MG