patosja_logo

Vacina contra dengue: entenda porque idosos precisam de receita médica

Geriatra explica que não há estudos de eficácia nessa faixa etária

por Redação PatosJá

fonte: Agência Brasil.

Publicado: 07-02-2024 8:13:52

Saúde

vacina contra a dengue

A população idosa concentra, atualmente, as maiores taxas de hospitalização por dengue no Brasil. O grupo, entretanto, ficou de fora da faixa etária considerada prioritária para receber a vacina contra a dengue por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Isso porque a própria bula da Qdenga estipula que o imunizante é indicado somente para pessoas com idade entre 4 e 60 anos. Ainda assim, em laboratórios particulares, o imunizante é aplicado em idosos, desde que seja apresentado pedido médico.

 

A pergunta é: há risco para o idoso que recebe a vacina? Em entrevista à Agência Brasil, o geriatra Paulo Villas Boas explicou que a bula da Qdenga não inclui pessoas acima de 60 anos porque não foram feitos estudos de eficácia nessa faixa etária. O membro do Comitê de Imunização da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia destacou, entretanto, que a dose foi liberada para toda a população acima de 4 anos pela Agência Europeia de Medicamentos e a Agência Argentina de Medicamentos.

 

“Em médio prazo, acredito que haverá uma discussão sobre a liberação da vacina contra a dengue para a população com mais de 60 anos”, disse. “No presente momento, os idosos não são elegíveis. Se a dose for utilizada na população com mais de 60 anos, mesmo que seja recomendada por um médico, é considerado o que a gente chama de prescrição off label, ou seja, que não consta na liberação oficial. Alguns medicamentos são prescritos assim porque há estudos que mostram benefício.”

 

“Existe essa possibilidade da prescrição off label. Mas o que está acontecendo no Brasil hoje em dia? Há uma demanda muito grande da população idosa com desejo de se vacinar contra a dengue. Porém, mesmo nas clínicas privadas, não se encontra mais a vacina. Como ela foi liberada, o próprio laboratório não está conseguindo suprir a demanda para o SUS. Temos uma previsão, até o final do ano, de um aporte de cerca de 6 milhões de doses. Então o laboratório provavelmente não vai conseguir suprir a demanda para clínicas privadas.”

 

Villas Boas lembrou que os idosos são considerados grupo de risco para agravos decorrentes da infecção pela dengue. O maior número de óbitos, segundo o geriatra, acontece exatamente nessa faixa etária. Dados da Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul, por exemplo, mostram que, no ano passado, das 11 mortes registradas pela doença, oito foram em pessoas com mais de 60 anos. Em 2022, 79% dos óbitos provocados pela dengue no estado também foram entre idosos.

 

“A gente sabe que os indivíduos idosos são portadores de doenças crônicas como hipertensão, diabetes, doença do coração. Muitos têm estado em imunossupressão, ou seja, quebra da imunidade. E esses são fatores de risco para complicações da infecção pela dengue. Por isso, acredito que a médio prazo, ou mesmo a curto prazo, teremos dados cientificamente robustos que indiquem a vacinação contra a dengue para essa população.”

 

O geriatra reforçou que não há risco iminente para idosos que, com a prescrição médica em mãos, recebem a vacina contra a dengue, mas destacou aspectos considerados importantes quando o assunto é a imunização de pessoas com mais de 60 anos, como um estado de perda de imunidade normal da idade, chamado imunossenescência, e a tomada de medicações que podem aumentar a imunodeficiência, como o uso crônico de corticoides e outros tratamento específicos.

 

“Se eventualmente esse indivíduo idoso desejar ser vacinado, é importante que ele converse muito bem com o médico que irá prescrever a vacina. Um bom contexto de saúde desse indivíduo idoso, para que ele possa receber a vacina com total segurança. A gente tem que lembrar que a Qdenga é uma vacina com vírus atenuado e não com vírus morto. Se o indivíduo estiver com a imunidade mais baixa, pode ter uma resposta ou reação vacinal maior, desenvolvendo efeitos colaterais inerentes à vacinação, como mal-estar geral e febre. Não vai desenvolver um quadro de dengue clássico. Mas pode ter uma série de efeitos colaterais, descritos na própria bula da vacina.”

 

Na ausência de uma dose contra a dengue formalmente indicada para idosos, Villas Boas ressaltou que a prevenção da doença nessa faixa etária deve ser feita por meio dos cuidados já amplamente divulgados para o combate ao mosquito Aedes aegypti: impedir o acúmulo de água parada; usar repelentes sobretudo pela manhã e no final da tarde, horários de maior circulação do Aedes aegypti; e utilizar roupas de manga longa e em tons mais claros.

 

“A prevenção da dengue para a população idosa é idêntica à prevenção da população em geral. Não há nada específico. São aquelas orientações que a gente cansa de ouvir e cansa de ver que as pessoas não fazem”, disse. “Tudo o que possa evitar o indivíduo de ser picado contribui”, concluiu.

PCMG
Operação conjunta da PC prende seis investigados e apreende um menor por tráfico de drogas
PMMG
Condutor sofre “queda de pressão” e provoca acidente na BR-352
Imagem da Internet
Mega-Sena sorteia prêmio acumulado em R$ 185 mi neste sábado
imóvel
Criminosos invadem residência, furtam fiação e vandalizam imóvel
associação
Associação de Moradores do Alto Colina clama pela legalização de espaço usado em suas atividades
Vítima atropelamento Lagoa Formosa
Ciclista atropelado em Lagoa Formosa morre após três dias internado
Vítima de homicídio em Coromandel
Homem é morto a tiros na zona rural de Coromandel
Vítima de homicídio em Paracatu
Jovem é executado a tiros dentro de sua residência em Paracatu
safra
Com alta recorde da Agropecuária, PIB fecha 2023 em 2,9%
zoonoses
O serviço de recolhimento de animais de grande porte retornará em Patos de Minas
materiais apreendidos pela polícia
Polícia apreende arma e homem é preso em ocorrência de sequestro e ameaça em Patos de Minas
dados em tela mostrando os casos judicializados nos últimos anos
Aumentam os processos judiciais para garantir direitos à saúde em Patos de Minas
Fila de veículos diversos em congestionamento na Avenida Joaquim Fuba, proximo a ponte do arco
Manutenção na Ponte do Arco causa fila e congestionamento de veículos
caneta sobre o cartão de loteria para marcar as numerações
Mega-sena acumula novamente e prêmio pode chegar a R$ 185 milhões
Helicóperto sobrevoando aéra de mata verde, com morros ao fundo
Buscas por idoso desaparecido em área rural entram no terceiro dia
viaturas da Polícia Militar estacionadas em rua, com vários policiais fazendo continencia
Supremo suspende concurso da PM de que restringia participação de mulheres
Imagem com veículos de pequeno e grande porte parados em fila na rodovia
Acidente de trânsito causa imenso congestionamento de veículos entre Patos de Minas e Lagoa Formosa
Em uma região rural, a viatura do Corpo de Bombeiros está estacionada e militares próximos ao helicóptero, mais ao fundo
Com uso de helicóptero, Bombeiros fazem buscas para localizar idoso desaparecido
autoridades de pé, pousando para fotografias, a frente de um telão e cortinas vermelhas
Com previsão de assumir gestão do Regional em junho, Faepu deve administrar as obras de ampliação do hospital
político
Vereador José Eustáquio explica seu pedido de parecer jurídico para PL e refuta portal de notícias
aplicação de vacina no braço de uma pessoa com seringa e agulha
Saúde antecipa vacinação contra gripe; campanha começa em 25 de março
arte com os escudos de Mamoré e URT sobre a imagem de um gramado verde
Tabela oficial do Módulo II do Mineiro tem mudanças em datas dos jogos de Mamoré e URT
larvas do mosquito da dengue armazenadas em um tubo plástico transparente
Sobe para 3.329 o número de casos prováveis de dengue em Patos de Minas
Concurso de Rainha Nacional do Milho
Edital para concurso de Rainha Nacional do Milho já está disponível